NOÇÕES BÁSICAS DE MICROSCOPIA

 

No estudo da histologia, tradicionalmente definida como “anatomia microscópica”, é de fundamental importância o uso do microscópio. Para adquirir conhecimento histofisiológico sobre tecidos, órgãos e sistemas é necessário que o aluno conheça os fundamentos da microscopia, uma vez que, o procedimento mais utilizado no estudo histológico é a preparação de cortes teciduais analisados em microscópio.

 

MICROSCÓPIO ÓPTICO         

Através do microscópio óptico (MO), também chamado de microscópio de luz, preparações coradas podem ser examinadas porque um feixe de luz é transmitido através do corte histológico.

Um microscópio óptico pode ser simples ou composto: o microscópio simples possui uma única lente e só fornece uma imagem moderadamente aumentada do objeto que se está estudando; o microscópio composto consiste em uma série de lentes e fornece um aumento muito maior. Na disciplina de histologia, geralmente se utiliza microscópios ópticos compostos, podendo ser monocular ou binocular.

O MO é tradicionalmente composto por partes mecânicas e ópticas:

 

 

 

 

Partes mecânicas

  • Base ou Pé: estabiliza o MO sobre a bancada.
  • Braço ou Coluna: se estende da base para cima (suporte).
  • Mesa ou Platina: local onde se coloca a lâmina para observação.
  • Parafuso macrométrico: botão para macrofocalização.
  • Parafuso micrométrico: botão para microfocalização.
  • Carriot: movimenta a lâmina sobre a platina.
  • Revolver: onde se encontram as lentes objetivas.
  • Canhão ou Tubo: suporte para oculares.
  • Lâmpada: fonte de luz.

 

 

 

 

 

Partes ópticas

  • Oculares: conjunto de lentes de aumento. Ampliam a imagem formada pela objetiva. O aumento final da imagem é dado pela multiplicação do aumento da ocular pelo amento da objetiva.
  • Objetivas: captam a luz oriunda do condensador e formam uma imagem ampliada do objeto, sendo fundamentais para a distinção de detalhes durante a observação. São em número de quatro: panorâmica, pequeno aumento, médio aumento e maior aumento ou imersão. Os aumentos são indicados por anéis coloridos:
    • Vermelho: 4x
    • Laranja: 10x
    • Amarelo-verde: 40x
    • Azul claro 100x
  • Condensador: combinação de lentes que projeta a luz sobre o objeto.
  • Diafragma ou Íris: controla a passagem de raios luminosos.
  • Espelho: reflete os raios emanados da fonte de luz.

 

 

Um microscópio óptico composto é um sistema de aumento em dois estágios: primeiro o objeto é aumentado pelas lentes da objetiva e depois novamente pelo segundo conjunto de lentes da ocular. O aumento total, como foi visto, é o produto dos aumentos de objetiva pelo da ocular. O valor gravado numa objetiva (4x, 10x, 40x, 100x) indica o aumento da objetiva; sendo assim, uma objetiva de 40x usada em combinação com uma ocular de 10x dá um aumento total de 400x. É interessante observar que a imagem projetada na retina está invertida da direta para a esquerda e de cima para baixo.

A qualidade de uma imagem depende não somente da capacidade da lente de aumentar, mas também de sua resolução (capacidade de lente de mostrar que dois objetos distintos estão separados por uma distância). A qualidade da lente depende de quão próximo sua resolução se aproxima do poder de resolução máximo do MO, isto é, 0,2µm (restrição esta determinada pelo comprimento de onda de luz visível); esta resolução permite a obtenção de boas imagens aumentadas de 1000 a 1500 vezes.

 

OUTROS TIPOS DE MICROSCÓPIO               

 

PREPARAÇÃO DE UMA LÂMINA HISTOLÓGICA        

Para estudar tecidos, órgãos e sistemas em histologia, foram desenvolvidas várias técnicas para manter um aspecto muito próximo do natural vivo, de tal forma que, estrutura e composição molecular seriam as mesmas apresentadas no corpo, porém, o método mais utilizado é o preparado histológico permanente (lâmina histológica permanente) para análise em microscópio óptico.